O que é Menopausa Precoce

 Em precoce, menopausadas

A menopausa é uma fase natural da vida da mulher que marca o fim do seu ciclo reprodutivo. Na maioria das vezes, se inicia entre os 45 e 55 anos, mas em alguns casos pode acontecer antes dos 40 anos (menopausa precoce) ou depois dos 55 (tardia).

Essas variações de idade para início da menopausa não necessariamente representam um problema, visto que cada mulher é única. Ou seja, cada uma terá ou não sintomas, bem como poderá ter uma melhor resposta a um ou outro tratamento.

Portanto, não há como generalizar e o acompanhamento médico adequado é fundamental para todos os casos.

Nesse período, podem surgir diversas dúvidas, por isso vamos responder às principais questões relacionadas à menopausa precoce a seguir:

Menopausa precoce

Clique para assistir

MENOPAUSA PRECOCE : O que é, quando acontece e como tratar?

Clínica especializada em Climatério e Menopausa

Menopausa precoce: o que é?

Na menopausa precoce, ou seja, na ausência de menstruação por 12 meses antes da mulher completar 40 anos, é fundamental identificar a causa e o tratamento mais adequado para a paciente, incluindo a reposição hormonal. 

Basicamente, há duas características principais que abrangem as mulheres na menopausa (precoce ou não): a ausência de ciclo menstrual no período de 12 meses e a consequente queda acentuada da produção de estrogênio (visto que não há mais ovulação). 

Ao longo da vida reprodutiva, a mulher mensalmente passa pela ovulação (processo em que os ovários liberam óvulos para a fecundação). Esse ciclo se repete até a chegada da menopausa, quando os ovários não liberam mais óvulos e cessam ou diminuem a produção dos hormônios reprodutivos (estrogênio, progesterona e testosterona).

Quais as causas da menopausa precoce?

É possível listar diversos fatores que podem contribuir com a menopausa precoce, mas grande parte dos casos costuma ser idiopática (ou seja, que surge espontaneamente sem causa definida). Assim, entre as causas e fatores de risco para a menopausa precoce, estão:

  • Causas genéticas, especialmente relacionadas a alterações nos cromossomos sexuais, como a síndrome de Turner;
  • Disfunções ovarianas ao longo da vida da mulher ou alterações causadas por radioterapia, quimioterapia e/ou cirurgias (histerectomia);
  • Doenças autoimunes (em que o organismo acaba atacando partes do próprio corpo);
  • Tabagismo ou uso de outras substâncias nocivas à saúde como um todo; entre outras.

Apesar de parecer um raciocínio muito lógico, nenhum estudo consistente conclui a associação entre a menarca e a menopausa precoces. Ou seja, não necessariamente uma mulher que menstruou pela primeira vez cedo (antes dos 12 anos) irá ter menopausa precoce (antes dos 40 anos).

Quais os sintomas da menopausa precoce? 

Da mesma forma que algumas mulheres podem não apresentar sintoma algum durante a menopausa precoce, há quem passe por diversas alterações (das mais leves às mais severas) no dia a dia, com: 

  • Ondas de calor;
  • Ressecamento vaginal e queda na libido (desejo sexual);
  • Alterações no metabolismo (sinais como cansaço e aumento de peso são comuns);
  • Condições de saúde mental: alterações de humor, irritabilidade, ansiedade e até depressão, bem como distúrbios de sono.

Qual o tratamento para a menopausa precoce?

Somente uma médica especializada pode orientar quanto ao tratamento mais adequado para sua paciente, levando-se em conta suas particularidades (idade, condições de saúde, contexto de vida), sintomas, etc.

Boa parte dos casos é tratada com a reposição hormonal do estrogênio (testosterona e estradiol), que ameniza os sintomas da menopausa. Porém, nem todas terão indicação da terapia de reposição hormonal (indicada quando os benefícios superam os riscos para a paciente em questão). Sendo assim, o tratamento atua no alívio dos sintomas relacionados para garantir uma boa qualidade de vida à mulher.

Outro tratamento com resultado excelente é o Laser de CO2 vaginal.
É indicado para as mulheres com menopausa precoce que desejam restaurar a aparência e função fisiológica de seus órgãos genitais, especialmente mulheres que sofrem com atrofia vaginal, perda de tônus, falta de lubrificado e dor no sexo e incontinência urinária leve
ou aquelas não podem receber terapia de reposição hormonal. O tratamento  também poder ser indicado para mulheres no período pós-parto e após a perda de peso (bariátrica).

Mudar hábitos é uma forma de atuar na prevenção de problemas mais graves e no alívio dos sintomas. Portanto, uma alimentação equilibrada (com uma dieta rica em frutas, verduras, vitaminas, como a D, e ômega 3), realização de atividade física e manutenção de peso, além de parar de fumar, quando tabagista, são passos de extrema importância para a saúde da mulher.

Como é feito o diagnóstico da menopausa precoce?

O diagnóstico da menopausa precoce é feito pela soma da análise clínica do que é relatado pela paciente, além de exames de sangue que confirmam o fim do ciclo reprodutivo da mulher.

Ainda para buscar entender o que originou a menopausa precoce, é possível que o (a) médico (a) solicite exames complementares para investigação.

É possível engravidar após a menopausa precoce? 

Após a menopausa confirmada, não há chances de uma gestação espontânea, portanto métodos contraceptivos podem ser suspensos (com exceção dos preservativos, que atuam na prevenção de doenças e infecções sexualmente transmissíveis).

Porém, caso a mulher deseje engravidar, há ainda algumas possibilidades, como a fertilização in vitro.

Menopausa precoce é perigoso? 

Em síntese, não, porém, após a menopausa, com as alterações que ocorrem no corpo da mulher (metabólicas e hormonais) é preciso estar atenta ao surgimento ou agravamento de doenças, como a obesidade, o diabetes e a dislipidemia (gordura no sangue).

Devido à perda de estrogênio, as mulheres com menopausa precoce têm mais perda óssea e fraturas, e são mais propensas a ter ataques cardíacos e derrames.

Além disso, dependendo da causa que levou à menopausa precoce, é preciso avaliar se há maior risco também para alguns tipos de câncer.

Mantenha sua rotina médica em dia e adote bons hábitos para sua saúde e qualidade de vida!

É possível viver bem durante a menopausa, mesmo que ela surja de maneira precoce e venha com muitos sintomas associados, converse com sua ginecologista!

medica menopausa

MÉDICA MENOPAUSA E CLIMATÉRIO

A doutora Fernanda Torras é referência no tratamento das mulheres na Menopausa e Climatério em São Paulo.

Formado há mais de 15 anos, se especializou em Ginecologia e pós-graduada em Mastologia.

Clínica localizada no bairro Campo Belo em SP.

Tratamentos e procedimentos modernos e atualizados.

Últimos posts

DEIXE UM COMENTÁRIO

Volatr ao topo