Libido e Menopausa

Como aumentar o desejo sexual?

Clique para assistir

Em síntese, a libido nada mais é do que o desejo sexual. Ao longo da vida da mulher, esse desejo passa por diversas alterações e com a chegada da menopausa não é diferente.

Grande parte das mulheres apresentam queda da libido e a seguir você entende melhor sobre o assunto, causas, tratamentos e como lidar com as mudanças dessa fase.

Como aumentar Libido da Mulher 🌶

Fatores que afetam a libido na Menopausa

Naturalmente, entre os 45 e 55 anos da mulher, tem início uma diminuição na produção dos hormônios reprodutivos. Assim, tanto na transição quanto na menopausa em si, há diversas alterações no organismo que afetam os relacionamentos afetivos, a sexualidade, o casamento e a carreira profissional, entre outros aspectos importantes de suas vidas.Nesse sentido, a queda da libido não pode ser vista de forma isolada ou associada somente aos hormônios, já que ela é afetada por outras causas, como:

Portanto, é importante que a médica avalie o contexto da paciente como um todo, entendendo os fatores que estão afetando a queda do desejo sexual. Só depois disso, é possível identificar qual o tratamento mais adequado para a paciente.

Tratamentos para a queda da libido na menopausa

libido e menopausa

Como visto, a definição do tratamento adequado só é possível com uma análise individualizada da paciente Por exemplo, nem todas as mulheres são candidatas à reposição hormonal e essa não é a única alternativa efetiva para amenizar os sintomas da menopausa.

Por isso, a seguir vamos entender um pouco mais sobre as possibilidades de tratamento para a queda da libido, que inclusive, podem ser praticadas de maneira simultânea, desde que indicadas e acompanhadas por uma ginecologista:

Cuidados com a alimentação

Hábitos mais saudáveis colaboram com uma maior qualidade de vida, portanto, um plano alimentar que supra as carências nutricionais da paciente é extremamente importante. Por vezes, incluir alimentos que colaborem com a sensação de bem-estar pode colaborar e muito para aliviar alguns desconfortos da menopausa.

Além disso, nesse período de mudanças corporais e queda na produção do estrogênio, o metabolismo desacelera e é comum o ganho de peso, que se não controlado pode evoluir para problemas associados, como a obesidade e o diabetes.

Entre os alimentos amigos da mulher na menopausa, podemos listar:

Bem como aumento na ingestão de líquidos (água e chás naturais, sem açúcar) e uma redução considerável na ingestão de alimentos ricos em sódio, gorduras saturadas e trans, bebidas alcoólicas e café.

Caso seja possível, vale a pena buscar um acompanhamento com nutricionista menopausa, inclusive para avaliar a necessidade de suplementação de algum mineral ou vitamina.

Prática de atividade física

Da mesma forma que a alimentação equilibrada colabora diretamente com o bem-estar e alívio de alguns sintomas da menopausa, a atividade física é uma boa aliada. Em ambos os casos, os efeitos positivos na saúde mental e na autoestima da mulher podem colaborar com o aumento da libido.

Portanto, a prática regular de atividade física é recomendada ao longo de todo o climatério e menopausa.

Em alguns casos, somente as mudanças de hábitos e técnicas naturais não são suficientes para garantir uma melhor qualidade de vida da paciente e tratamento dos sintomas.

Nesse momento, a médica pode recomendar alguma terapia de reposição hormonal: que pode ser associada ou não à progesterona e testosterona e possui várias formas de apresentação (pílula, gel, adesivo ou implante hormonal).

Porém, é necessário avaliar os fatores de risco para doenças cardiovasculares, circulatórias e câncer de mama além da janela de oportunidade.

A terapia de reposição hormonal (TRH) restaura o equilíbrio e tende a melhorar o estado físico, emocional e o desejo sexual.

Reposição hormonal libido

Fisioterapia pélvica e pompoarismo

Ainda nos tópicos de tratamentos caseiros, que contribuem diretamente para a libido na menopausa, a fisioterapia pélvica e o pompoarismo também são boas alternativas. Isso porque, suas técnicas auxiliam no autoconhecimento feminino e trazem uma sensação maior de prazer.

Além disso, podem contribuir também para fortalecer o assoalho pélvico e amenizar outros sintomas da síndrome urogenital na região íntima.

Libido é multifatorial

libido na menopausa

Além da queda hormonal, os relacionamentos (desrespeito, falta de empatia, desconfiança, controle…), rotina estressante, problemas financeiros, autoimagem distorcida, falta de comunicação, são alguns exemplos dos problemas que podem estar influenciando a baixa libido.

Ninfoplastia e libido

Além das alterações físicas (redução dos lábios vaginais) proporcionadas pela labioplastia, é importante destacar o impacto emocional e psicológico que a cirurgia pode ter na vida de uma mulher. Muitas mulheres que passaram pela ninfoplastia, ou mesmo em outros procedimentos relacionados a estética íntima, relatam um aumento significativo na autoconfiança, na autoestima e na satisfação com a própria imagem corporal.

A sensação de desconforto e vergonha pode ser substituída por uma nova percepção positiva do corpo, o que pode refletir-se em diversas áreas da vida, como na vida íntima, nos relacionamentos e na autoaceitação e consequentemente no aumento da libido.

Acupuntura e menopausa

Uma alternativa que tem se mostrado positiva no tratamento da libido na menopausa é a acupuntura que pode ajudar a reduzir a intensidade e a frequência de algumas queixas que interferem na libido.

Maca peruana e tribulus para mulher

Outro método alternativo que demonstrou ter um efeito positivo no tratamento da libido feminina é o uso de fitoterápicos , como tribulus terrestris e maca peruana.

Por fim, um dos tratamentos mais procurados pelas mulheres 40+ ou mesmo aquelas com menopausa precoce.

laser vaginal é uma técnica que tem se popularizado como uma opção para melhorar a saúde sexual feminina. Esse tratamento envolve a aplicação de laser na região de vulva e vagina, visando estimular a produção de colágeno e melhorar a elasticidade, hidratação e vascularização da área. Com isso, é possível reduzir a secura vaginal, a dor durante as relações sexuais e a incontinência urinária, além de aumentar a sensibilidade e o prazer sexual. Essas melhorias físicas e estéticas também podem contribuir para a autoestima e confiança da mulher, ajudando a melhorar a libido.

É importante ressaltar que cada caso deve ser avaliado individualmente, e que o tratamento com laser íntimo deve ser realizado por uma ginecologista capacitada e em uma clínica confiável.

Laser íntimo libido

Conclusão
A menopausa traz diversas mudanças no corpo da mulher e a libido é uma delas. Ao mesmo tempo que algumas mulheres têm uma queda acentuada no desejo sexual, outras podem apresentar pouca ou até nenhuma alteração. Seja qual for o seu caso, tenha paciência e se acolha nesse processo.

Assim como cada pessoa é única e possui suas próprias características fisiológicas e psicossociais, cada mulher pode apresentar sintomas diferentes durante a menopausa e se adequar melhor a um ou outro tratamento.

Portanto, um tratamento efetivo deve englobar todos os aspectos da vida da mulher para trazer mais saúde e bem-estar. Agende sua consulta para um acompanhamento adequado para aproveitar mais sua vida.

Obrigada!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

8 respostas

  1. Exames prolactina ta 89 a endocrinologista disse que não precisa tomar mais cabergolina porque já estou na menopausa,mas não tenho desejo sexual,tenho 48 anos.é normal?

  2. Eu tenho 46 anos, casei recentemente e já sinto os sintomas do climatério…desejo sexual baixo, vontade de dormir, prefiro caminhar, me sinto bem até, mas o desejo sexual tá em baixa. Isso é normal aos 46 anos?????

  3. Tenho 52 anos e nenhum desejo sexual. Fiz vários examea e Meu ginecologista falou que minha taxa hormonal está a nível 3. Mas ainda estou sem desejo sexual nenhum. Amo meu marido. Mas ele está ficando cada vez mais aborrecido.Meu ginecologista aconselhou-me após a bateria de exames e verificação de 2 miomas
    Que para meu tratamento hormonal. Devo tomar anticoncepcional, por causa dos miomas. O que devo fazer? Não quero tomar anticoncepcional!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *