Gestrinona

O implante de gestrinona não é “chip da beleza​

gestrinona
gestrinona

Gestrinona

O implante de gestrinona e seus efeitos para o organismo da mulher.

Se tem um assunto que sempre gera dúvidas entre as mulheres é a Reposição Hormonal Feminina. Também chamada de terapia hormonal, esse tratamento tem como foco regular um determinado hormônio que esteja apresentando certo nível de alteração, independentemente do motivo.

Se você tem entre 35 e 55 anos e já sente alguns sintomas da menopausa – período em que ocorre a interrupção natural do ciclo menstrual -, provavelmente tem procurado pela Internet, ou até mesmo em uma conversa com amigas, as opções de reposição hormonal disponíveis no mercado. Aqui, vamos abordar os principais tratamentos hormonais e tudo o que você precisa saber sobre o implante de gestrinona, popularmente conhecido (e de forma errônea) como o “chip da beleza”.

Gestrinona Valor​​

O que, realmente, é um tratamento hormonal e quais os seus benefícios?

O tratamento de reposição hormonal é a terapia que pretende repor os hormônios que não estejam sendo produzidos naturalmente pelo organismo, seja pela menopausa ou por outra razão.
Com a finalidade de evitar os sintomas e doenças que podem surgir durante a diminuição dos hormônios, o tratamento hormonal utiliza substâncias bioidênticos que, em outras palavras, apresentam a mesma composição química que compõem os hormônios naturais.

Em grande parte das vezes, as pacientes que procuram pelo tratamento hormonal já estão na casa dos 45 a 55 anos, e relatam alguns sintomas referentes à menopausa, ou entendem que o último ciclo está próximo. O objetivo mais esperado por elas é, sem dúvidas, a diminuição dos desconfortos comuns dessa fase, como as ondas de calor e alterações de humor, mas os benefícios da reposição hormonal vão muito além disso.

Benefícios da reposição hormonal

Os maiores desconfortos que as mulheres procuram solucionar com a reposição hormonal durante a menopausa, tendem a ser as constantes mudanças de humor e irritabilidade, assim como a perda de memória, isso sem contar com os temidos fogachos e calores noturnos.

Mas não apenas isso, as terapias hormonais são capazes de ter resultados satisfatórios contra a queda de cabelo, melhora na pele, como também trazer benefícios como o fortalecimento dos ossos, evitando tanto a osteoporose quanto outros problemas ósseos que podem aparecer em decorrência da diminuição dos hormônios.

Entre os sintomas da menopausa, não é raro encontrar pacientes que relatam menos interesse sexual, ou seja, uma redução da libido, chegando a impactar suas relações com o parceiro, sendo um grande impasse no casamento. A reposição hormonal permite, não somente, a melhora do apetite sexual, como também a lubrificação vaginal, sendo possível observar menos ressecamento vaginal.

Reposição hormonal feminina menopausa

Outros benefícios trazidos pelas terapias hormonais são:​

  • Aumento da libido
  • Reduz a Secura vaginal
  • Melhora do foco e memória
  • Alivia ansiedade e depressão
  • Fogachos e suores noturnos
  • Melhora da energia, fadiga e motivação
  • Previne a perda óssea ou fraturas
  • Sensação de bem-estar
  • Melhora oscilação de humor e menos irritabilidade
  • Perda de gordura
  • Aumenta a força e tônus muscular

Gestrinona Preço

Quando começar a reposição hormonal?

Uma das principais dúvidas que surgem com relação aos tratamentos hormonais se refere ao momento em que eles se tornam necessários: quando, de fato, se deve começar a reposição hormonal?

Recomendada para pacientes que apresentam a falta de alguma substância – hormônio -, que pode impactar negativamente na saúde, a reposição hormonal é comumente sugerida por ginecologistas para mulheres que se encontram próximas à idade da menopausa, com o intuito de evitar problemas cardiovasculares, cistos nas mamas e ovários, osteoporose e, é claro, os incômodos característicos dessa etapa da vida da mulher.

Os sintomas que mais se destacam entre as pacientes que sofrem de alteração hormonal são:

  • Mudanças de humor ou irritabilidade
  • Cansaço e distúrbios do sono
  • Alteração de apetite
  • Má digestão
  • Dificuldade de concentração e falta de memória
  • Acne
  • Mudança na libido
  • Menstruação irregular
  • Ganho ou perda de peso
  • Ondas de calor
  • Alteração da glicemia e colesterol


Vale reforçar, no entanto, que a deficiência hormonal pode ocorrer por outros motivos, sendo de extrema importância procurar o diagnóstico de um médico especialista.

Quais os tipos de terapias hormonais disponíveis?

Se você está buscando por tratamentos de reposição hormonal, provavelmente encontrou diversas opções disponíveis no mercado, porém descobrir qual o mais recomendado para o seu caso é uma tarefa que cabe a um profissional especializado, depois de uma meticulosa avaliação. No entanto, separamos os principais tipos de terapias hormonais para que você conheça melhor:

Progesterona

Normalmente utilizada em pacientes durante a menopausa, a progesterona é o hormônio administrado por via oral, ao contrário dos outros hormônios usados nos tratamentos. Isso porque, quando absorvida pelo fígado, a progesterona libera seus benefícios, garantindo uma reposição hormonal mais segura para a mulher, quando indicado.

Estradiol

Pode ser que o nome te pareça incomum, mas o estradiol é a substância bioidêntica ao estrogênio – que é produzido naturalmente pelo corpo -, apresentando compatibilidade com o organismo. O estradiol é altamente recomendado quando associado à reposição hormonal de testosterona e, ao contrário do item anterior, este é realizado através do implante.

Testosterona

O tratamento de reposição hormonal com testosterona, também conhecido como terapia androgênica, é uma excelente opção para os primeiros anos da menopausa, quando os sintomas são intensificados. Entre os benefícios da testosterona feminina estão a melhora no metabolismo, assim como na disposição no dia a dia, aumento da massa muscular e da libido.

Gestrinona

Muito conhecida como “chip da beleza”, a gestrinona tem dado o que falar, seja entre mulheres, seja entre médicos ginecologistas. Apesar do que parece, o implante de gestrinona não é uma reposição hormonal, isto porque a substância não é produzida pelo nosso corpo. Ficou surpresa? Aqui vão mais algumas informações sobre o implante!

Indicado principalmente para mulheres jovens que sofrem de alterações hormonais, endometriose, entre outros distúrbios ginecológicos, o implante de gestrinona é um medicamento e também pode apresentar, como benefícios, a redução de gordura e aumento da massa magra, além da melhora na libido. Justamente por essas vantagens, a gestrinona é chamada, erroneamente, de “chip da beleza”.

Clique para assistir o vídeo

Chip Gestrinona​​

Quais os benefícios do implante de gestrinona?

Como dito anteriormente, o implante de gestrinona não se trata de uma reposição hormonal, uma vez que o elemento não é produzido naturalmente pelo organismo. Em outras palavras, a gestrinona é uma substância hormonal sintética e tem, entre suas principais ações no corpo da mulher, o efeito de bloquear os ciclos menstruais, assim como os anticoncepcionais. Mas fique atenta, o implante de gestrinona não deve ser utilizado como método contraceptivo!

Outros “efeitos positivos” do tratamento hormonal com gestrinona é o aumento dos níveis de testosterona, o que propicia a queima de gordura e o aumento de massa muscular. Além disso, o implante também é capaz de suprimir as variações de humor, cólicas, e demais desconfortos que aparecem durante a TPM, impedindo, assim, que a paciente tenha a sensação de ciclar.

Também é possível notar um significativo aumento da libido, melhora do desempenho físico, assim como o alívio das dores causadas pela endometriose, miomatose, e outras queixas ginecológicas.

Implante de gestrinona é o Implanon?

A gestrinona não é Implanon. Apesar dos dois serem conhecidos como “chip” e estarem relacionados a saúde feminina.

Vale lembrar que o chip de Gestrinona NÃO é um método contraceptivo, já o Implanon é um anticoncepcional com a progesterona como principio ativo, age por 3 anos e tem uma eficácia superior a 99%, sendo um dos métodos mais eficazes da atualidade.

Gestrinona efeitos colaterais

Apesar dos grandes benefícios, o tratamento hormonal com os implantes de gestrinona também podem apresentar efeitos colaterais negativos, e talvez o mais comum deles sejam os escapes menstruais. Embora a gestrinona interrompa o ciclo menstrual, ainda é possível que ocorram pequenos sangramentos de escape durante a terapia.

Em decorrência do aumento da produção de testosterona, também são considerados efeitos negativos o engrossamento de pelos corporais, predisposição a queda capilar, aumento da oleosidade da pele e o aparecimento de acne. Mas vale ressaltar que todos esses podem ser reduzidos com o uso de medicações específicas.

É possível notar, nos primeiros meses do tratamento com implantes de gestrinona, retenção de líquido, inchaços e aumento da fome, já que o medicamento provoca alterações no metabolismo. Por esse motivo, reforçamos que toda a terapia deve ser feita com acompanhamento do médico responsável.

Preço Gestrinona Implante

Qual o valor do chip de Gestrinona?

O preço do Implante de Gestrinona Absorvível custa, atualmente, entre R$4.200 a R$6.000 e dura em média 6 a 8 meses.

O custo do implante pode variar, pois a fórmula é individualizada, combinando uma ou mais substâncias como a testosterona e a gestrinona juntas, e  dependerá da localização, clínica e médica que for fazer o procedimento irá fazer o preço alterar.

gestrinona valor

Mas afinal, como são colocados os implantes de gestrinona?​

Inseridos abaixo da pele, na região entre a lombar e as nádegas, normalmente na "marca de biquíni".Está disponívels no mercado brasileiro os implantes absorvíveis (SottoPelle), eliminando a necessidade de remoção, e cicatriz, cada vez que precisam ser reimplantados.O implante de gestrinona absorvível apresenta uma duração do tratamento mediana, sendo necessária a reimplantação a cada 6 a 8 meses.

Implante Gestrinona Orçamento

Quando é possível começar o tratamento com implantes de gestrinona?

O primeiro passo para iniciar qualquer tratamento hormonal, seja ele com gestrinona ou não, é procurar um médico especializado, nesse caso, um ginecologista. Na consulta, será feita uma anamnese, com o intuito de compreender e estudar todas as questões que possam envolver a alteração hormonal da paciente, que vão desde os sintomas que ela possa estar apresentando, passando pelo histórico de saúde pessoal e familiar – o que envolve comorbidades, gravidez, ciclos menstruais até o momento, e casos de câncer ou outras doenças na família.

A partir da anamnese feita pelo profissional de ginecologia, será necessário seguir com uma bateria de exames, que incluem avaliação mamária e ginecológica, sendo abordados os fatores sistêmicos e sexuais, a fim de analisar e classificar em qual fase da vida está a paciente em questão, e quais são as reais possibilidades de tratamento hormonal para ela.

Após os resultados dos exames, que devem estar em dia, ou seja, menos de 1 ano, e conhecer todas as opções de terapias hormonais, será possível dar início ao tratamento com implante de gestrinona.

Agora que você já compreende melhor os efeitos positivos e negativos da terapia hormonal, o que são os implantes e toda a trajetória de triagem até que o tratamento com gestrinona seja indicado ao seu caso, você provavelmente deve estar se perguntando quanto à dosagem correta da medicação. Entenda como esse cálculo é feito!

Como calcular a dose dos implantes de gestrinona?

Assim como outras terapias hormonais, o tratamento com implantes de gestrinona vêm em diferentes dosagens, uma vez que é de extrema importância analisar cada caso com único. Para a dose inicial são levados em consideração os seguintes fatores como a Idade da paciente e em que etapa da vida hormonal ela se encontra, Peso, Intensidade e frequência dos sintomas, Níveis hormonais, histórico de saúde e familiar e mais exames.

Na grande maioria das vezes, a dose inicial já é a mais assertiva. No entanto, ao ultrapassar o tempo médio para que se obtenham os efeitos desejados, em torno de 30 a 40 dias, caso a paciente não tenha alcançado a melhora esperada, pode ser necessário uma aplicação da dose adicional (booster). Na próxima implantação de gestrinona, ou seja, 6 meses após a primeira, as doses já estarão otimizadas.

É necessário o acompanhamento durante o tratamento hormonal?

Como qualquer outro tratamento hormonal, o uso do implante de gestrinona deve ser acompanhado com o ginecologista, sendo fundamental manter a rotina de exames, pois vale lembrar que as implantações do hormônio são baseadas nos fatores clínicos obtidos durante o tratamento, e não em exames laboratoriais. Levando em conta a duração de 6 meses dos implantes, a paciente deve voltar ao profissional dentro deste intervalo.

O implante de gestrinona funciona mesmo como um “chip da beleza”?

A história das terapias hormonais com gestrinona não são tão recentes no Brasil, e datam da década de 1980, e desde então são vistas, pelos médicos e especialistas da área com certa atenção e restrição, e não por acaso. Por terem as dosagens customizáveis, os implantes de gestrinona estão sujeitos a super ou subdosagem.

Além disso, existe um alerta das comunidades médicas para o uso inadequado da medicação, que tem aumentado rapidamente nos últimos anos, em decorrência da busca da melhora estética por mulheres, sob o risco de graves efeitos colaterais indesejáveis.

Sendo assim, os implantes de gestrinona não devem ser utilizados com objetivo estético, e apesar de ocasionarem a perda de gordura (em algumas mulheres), não funcionam como “chip da beleza”, sendo utilizados apenas em caso de tratamento hormonal ginecológico.

O tratamento hormonal deve ser analisado para cada paciente exclusivamente.

Janela de Oportunidade Reposição Hormonal

janela oportunidade reposição hormonal
Janela de oportunidade é o momento certo para iniciar o uso da medicação

O que é a janela de oportunidade?

O termo é utilizado no sentido de iniciar o tratamento dentro do prazo correto.

Necessita da avaliação prévia especializada médica para introduzir no momento ideal, que é quando os ganhos predominam os danos para a saúde.

Qual o tempo certo para iniciar com a reposição hormonal?

Entre os diversos critérios, pode ser levado em consideração a idade ou tempo, que pode ser em até 10 anos da menopausa.

Existem exceções e diversos critérios para começar o tratamento com segurança, por isso a necessidade de suporte adequado especializado.

Se está interessada. Busque ajude médica e não deixa a janela se fechar para iniciar o seu tratamento!

Quer conhecer a terapia mais indicada para você?
Entre em contato conosco clicando no botão de contato ou WhatsApp!

Conclusão
A reposição hormonal é um tema delicado e que deve ser avaliado com cuidado e individualmente para cada organismo. Afinal, apesar de muitas vantagens, não é recomendada para todas as mulheres. Quer saber se é o tratamento ideal para você? Entre em contato e agende sua consulta de avaliação 🙂

Obrigada!

Dra Fernanda Torras

Ginecologista especialista em reposição hormonal feminina

A médica Fernanda Torras é referência no tratamento das mulheres que buscam por Reposição Hormonal Feminina em São Paulo.

Procedimentos e tratamentos modernos e atualizados: Ninfoplastia, EmSella, Clareamento íntimo, Bioestimuladores vaginais, Preenchedores íntimos, Laser Íntimo e mais.