MIRENA é um sistema intrauterino (SIU) com liberação de levonorgestrel que atua como método contraceptivo.

Clique e Assista ao Vídeo!

O Mirena tem como mecanismo a liberação intrauterina do hormônio levonorgestrel (ação local e não sistêmica), que provoca alteração do muco cervical, alteração da motilidade das tubas uterinas e alteração do endométrio, tecido de dentro do útero. Fazendo dele um poderoso método contraceptivo..

Sua taxa de eficácia na contracepção é próxima de 99% e age por até cinco anos (desde que usado corretamente).

O Mirena pode substituir 1.825 tomadas de pílulas anticoncepcionais, mas não substitui o uso de preservativo que é o único método com eficácia para prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Em todas as indicações deve obrigatoriamente ser prescrito, inserido e acompanhado por médica especializada.

Deseja colocar o DIU Mirena em SP?

O que é Mirena?

O DIU Mirena é um sistema intrauterino (SIU), ou seja, ele fica no interior do útero.

Atua com a liberação gradativa de hormônios que ajudam a prevenir a gravidez ou evitar problemas de saúde, como a perda abundante de sangue durante o período menstrual ou em casos de endometriose.

Esse dispositivo contraceptivo tem o formato de um “T” e, para ser introduzido, é necessário contar com uma médica especializada na área de ginecologia.

O que é DIU?

O DIU é um método contraceptivo intrauterino que atua sem (DIU de cobre e prata) ou com liberação de hormônios (Mirena) para prevenir de gravidez indesejada e pode ser usado como tratamento em casos de endometriose.

Quais são os tipos de DIU?

Existem três tipos:

  1. DIU Mirena (hormonal): índice de falha próximo de 0,2% e eficaz por 5 anos.
  2. DIU de Cobre (não hormonal): taxa de falha está entre 0,6% e 0,8% e é eficiente por até 10 anos.
  3. DIU de Prata (não hormonal): falha entre 0,2% e 0,8% e pode ser usado entre 5 e 10 anos.

Indicações do Mirena?

Indicado como método contraceptivo, hipermenorreia (sangramento menstrual abundante) e para proteção contra o crescimento excessivo do endométrio durante terapia de reposição hormonal com estrogênio.

Como funciona o Mirena?

O DIU Mirena evita a gravidez graças a ação do hormônio levonorgestrel, que dificulta a ovulação e impede do ovo se fixar no útero. Ele deixa o muco do colo do útero mais espesso, formando uma espécie de tampão para impedir os espermatozoides de chegarem até lá.

Contraindicações do Mirena

O Mirena pode ser usado por todas as mulheres. No entanto, é necessário fazer uma avaliação prévia, garantindo que haja as condições adequadas para alojar o dispositivo no útero. Portanto, todas as mulheres devem passar por exames mais aprofundados para verificar a possibilidade de usar o método.

Nas seguintes condições não pode ser utilizado: gravidez ou suspeita de gravidez; doença inflamatória pélvica atual ou recorrente; infecção do trato genital inferior; infecção do útero após parto; infecção do útero após um abortamento ocorrido durante os últimos 3 meses; infecção do colo do útero; anormalidades celulares no colo do útero; câncer ou suspeita de câncer do colo do útero ou do útero; tumores que dependem do hormônio progestógeno para se desenvolver; sangramento uterino anormal não-diagnosticado; anormalidade do colo do útero ou do útero, incluindo miomas, caso estes causarem alteração da cavidade uterina; condições associadas com aumento de susceptibilidade a infecções; doença hepática ou tumor hepático; alergia ao levonorgestrel ou a qualquer componente do produto.

Vantagens do Mirena

Entre as principais vantagens do DIU está o fato deste dispositivo ser um método prático e de longa duração (até 5 anos). Além disso, ele evita o esquecimento – como normalmente pode acontecer com a pílula anticoncepcional.

Esse método contraceptivo também não interfere no contato íntimo, mas é extremamente importante o uso do preservativo, pois o DIU não protege contra infecções sexualmente transmissíveis.

O Mirena também é aconselhado para mulheres com predisposição a trombose ou que apresentam um fluxo menstrual maior, além de melhorar os casos de endometriose.

Eficácia superior a 99% – sua taxa de sucesso é semelhante a laqueadura tubária.

DIU tratamento da endometriose

DIU Mirena Tratamento Endometriose

Efeitos colaterais do DIU hormonal

Os efeitos são ausentes na maioria das mulheres, mas dores e desconfortos leves podem ser sentidos ainda alguns dias após a introdução do DIU no útero.

No período de adaptação, podem existir sintomas leves e de duração curta de dores de cabeça, dor nas mamas, acne e espinhas.

Para quem faz uso do DIU, é necessário ficar mais atenta aos riscos de infecção. Se a mulher já tiver alguma bactéria dentro do útero, o dispositivo poderá ser colonizado. Isso pode ser evitado com exames antes da inserção do dispositivo.

Nos casos onde o sintoma for intenso ou persistir por muito tempo deve consultar sua médica para reavaliação do método, e possivelmente pode ser retirado.

Menstruação e o Mirena

Na fase de adaptação o ciclo menstrual pode ficar irregular. Depois a intensidade e volume de sangramento e cólica devem diminuir.

Em algumas mulheres existe a tendência de amenorreia, que é a parada total da menstruação durante o período de uso.
ode reduzir o fluxo menstrual e cólicas.

Como é a colocação do Mirena?

Para colocar o Mirena é preciso de médica ginecologista especializada, e para a indicação é preciso avaliação prévia clínica e de exames ginecológicos.

O procedimento dura poucos minutos e normalmente é realizado no próprio consultório (pode ser utilizado anestésico tópico).

Em alguns casos, quando a paciente é mais sensível a dor, pode ser realizado em hospital com sedação.

Retirar DIU Mirena

O procedimento para retirar o DIU é mais simples do que colocar e requer menos tempo.

Deve ser realizado por médica ginecologista especializada, e é possível recolocar um novo imediatamente.

Existe a possibilidade do fio não estar visível, nesse caso uma histeroscopia em hospital pode ser indicado.

Quando colocar o DIU?

É preferível que seja colocado durante o período menstrual porque é quando o colo do útero fica um pouco mais dilatado facilitando o procedimento.

Clínicas que colocam Mirena em São Paulo

Buscando uma clínica especializada para o procedimento de colocação do Mirena  em SP?

A clínica da doutora Fernanda é especializada em colocação de Mirena e outros tratamentos referentes a saúde da mulher. O consultório fica bem localizada e próxima aos bairros: Brooklin – Chácara Flora – Chácara Santo Antonio – Campo Belo –  Cidade Monções – Granja Julieta – Indianópolis – Moema – Morumbi – Vila Nova Conceição – Santo Amaro – Vila Olímpia – Real Parque entre outros na Zona Sul de São Paulo.

Clínica de Ginecologia em São Paulo  Av. Vereador José Diniz – continuação da Av. Ibirapuera sentido bairro e distante apenas:

  • 3 minutos do Shop. Ibirapuera
  • 8 minutos do Shop Morumbi
  • 10 minutos do Shop Vila Olímpia
  • 7 min do Aeroporto de Congonhas

Envie um email para solicitar o orçamento: contato@drafernandatorras.com.br

Valor do Mirena: qual o preço para colocar o DIU Mirena?

O preço médio, considerando o procedimento mais o Mirena, é de R$2.500 a R$ 4 mil. No entanto, isso pode variar de acordo com cada clínica.