Ovários policísticos

 Em Doença endocrinológica

Ovários policísticos

ovarios-policisticos-600x400

O diagnóstico da síndrome dos ovários policísticos nem sempre é feito de maneira correta, levando muitas mulheres a receber um tratamento de que não necessitam. Isso acontece quando esse distúrbio é confundido com cistos no ovário, que geralmente representam uma condição normal do processo de ovulação.

Por ser uma doença comum entre as mulheres em idade reprodutiva, a avalição ginecológica deve se basear não só em métodos de diagnóstico por imagem, mas também em um conjunto de sintomas característicos que podem ser observados em um exame clínico.

O que são ovários policísticos

A síndrome dos ovários policísticos é caracterizada por um desequilíbrio hormonal que altera o processo natural de ovulação, levando à formação de cistos no ovário, além de outros sintomas. Uma das principais características dessa doença é a irregularidade menstrual, ou seja, quando a mulher tem ciclos espaçados e não sabe quando vai menstruar novamente.

Outro aspecto marcante desse distúrbio é o excesso de hormônios masculinos na mulher, que se manifesta em sintomas facilmente detectáveis. Para confirmar a suspeita, o médico pode pedir um exame laboratorial que mede os níveis de testosterona no sangue.

Causas e sintomas

Como visto, a síndrome dos ovários policísticos é resultado de uma desregulação dos hormônios sexuais na mulher. Há alguns fatores de risco para o desenvolvimento dessa doença como histórico familiar, resistência à insulina e obesidade.

Os principais sintomas desse distúrbio são alterações menstruais, aumento da quantidade de pelos no corpo, excesso de oleosidade na pele, acne, queda de cabelo, mudanças na pigmentação da pele em algumas regiões, ganho de peso e dificuldade para engravidar.

Prevenção e tratamento

Algumas doenças ou alterações metabólicas estão diretamente relacionadas à síndrome dos ovários policísticos, como o diabetes, a hipertensão, o sobrepeso e o aumento do colesterol.

Por isso, é comum o pedido de exames complementares para avaliar as condições metabólicas e hormonais da paciente, além de serem recomendadas a realização de atividades físicas e a adoção de uma dieta saudável e equilibrada. .

De modo geral, as mulheres que não querem engravidar no curto prazo são tratadas com anticoncepcionais escolhidos de acordo com a avaliação dos exames ginecológicos e a resposta do organismo.

Já aquelas que desejam engravidar passam por um tratamento específico para estimular a ovulação. Apesar de o tratamento ser eficaz no controle dos sintomas, a síndrome dos ovários policísticos não tem cura e deve ser acompanhada durante toda a vida fértil da mulher.

A síndrome dos ovários policísticos muitas vezes é confundida com cistos no ovário. Por isso, é preciso ficar atento aos sintomas característicos dessa doença para receber o tratamento adequado.